Só Templates

Créditos



Layout by



Lendas Firminenses: O Cinema do Seu Tunico


Naquela noite, a Rua da Vargem (atual Rua Antônio Braz) estava toda iluminada embora Conceição do Turvo não tivesse luz elétrica. É que, o Cinema do Seu Tunico que funcionava na antiga Casa do Teatro do Sô Doque, ali na Rua da Vargem, com seu motor à explosão gerava energia para um cordão de lâmpadas estendido na parte principal daquela rua. Todos iam assistir à fita mais famosa e mais comentada daquela época “A Vida de Saturnino Farandula”. Não há quem tenha nascido na década de 1930 em Conceição do Turvo que não tenha assistido ao grande filme, pois que, ficava ele em cartaz semanas repetidas. Na primeira noite, ao som daquela valsa Tardes de Lindóia, tinha começado o espetáculo. Saturnino Farandula, pequenino ainda, fora atirado ao mar em pequeno cesto. Quando era recolhido pelos macacos, a tela ficou branca. Era o motor do cinema que havia empacado. Vai um e outro tentar desenguiçar a máquina e nada. Desistiram e a fita não continuou. Na noite seguinte, tudo começou bem, mas quando os macacos recolheram Saturnino Farandula, outra vez, no mesmo ponto da fita, o motor tornou a enguiçar e o filme não teve prosseguimento. Isso se repetiu na noite seguinte, até os espectadores ávidos de ver o fim da fita, pediram ao Seu Tunico, que na noite seguinte, começasse o filme onde havia parado, isto é, de quando o Farandula fosse recolhido pelos macacos, porque se o motor enguiçasse, eles já teriam visto outra parte da fita. Assim se fez, mas, por sorte o motor desta vez não enguiçou e depois de haver chegado ao fim da fita, quando Farandula se torna homem, resolveram então passas o princípio da fita e assim fizeram. A seqüência do filme ficou prejudicada porque foi exibido primeiro o fim e depois o princípio. Mas todo mundo ficou satisfeito, exceto uma senhora gorda que não sabia que o filme tinha começado do fim para o princípio, e meio exaltada, saiu dizendo: “Essa coisa de cinema é uma bobagem, onde é que já se viu o tal Farandula ter começado homem e ao invés de ficar velho, começou a ficar moço e depois menino, num cestinho no mar”. Só mesmo no Cinema do Seu Tunico.

Rodrigo Celi Veiga Dias

Presidente do Conselho do Patrimônio Cultural de Senador Firmino

3 comentários:

Aneurysm disse...

Blog diferente,maneiro !

T disse...

Gostei do texto.
Muito legal seu blog!

http://whathellsidowithme.blogspot.com/

Dimas Bertolucci disse...

Adorei o texto. parabéns!


http://villacosmetica.blogspot.com