Só Templates

Créditos



Layout by



FESTA DO ROSÁRIO (REISADO) EM SENADOR FIRMINO - MINAS GERAIS


Essa festa é uma das mais antigas da história de nosso município, remonta do início do século XVIII, quando os irmãos Antônio e Feliciano tomaram posse destas terras.
Essa festa foi celebrada por aqui com toda a pompa durantes os séculos XVIII e XIX e meados do século XX, quando começou a perder sua força. De 1943 a 1988, a Festa foi celebrada sem a realização do Reisado, era realizada apenas uma novena e no fim da mesma, isto é, no dia de Nossa Senhora do Rosário era celebrada a missa festiva. Em 1988, o pároco Padre Carlos Magno da Silva, a pedido da Irmandade do Rosário de Senador Firmino, resgatou essa festividade nos aspectos folclóricos. A partir de 1995, a Festa voltou a ser celebrada de forma simples, sem os tradicionais REISADO e CONGADO.

Origem da Festa:

Podemos dizer que essa festa começou a ser celebrada entre nós por causa do Velho Chico Rei, que era um homem livre na África e que foi escravizado para trabalhar nas Minas de Ouro em Vila Rica (atual Ouro Preto). Segundo conta a história, no dia de Nossa Senhora do Rosário, por volta de 1700, Chico Rei (que na África era Rei de sua Tribo) vestiu-se de Rei, e tendo sua mulher como Rainha e seu filho como Príncipe, desfilou pelas ruas de Vila Rica. Esse episódio significou a retomada do Reino da África e fez com que nos meses de outubro este gesto fosse repetido por negros nos Distritos e Vilas das Minas Gerais. Isso explica a existência do Reisado ou Reinado na Festa do Rosário
Porém, uma pergunta ainda está sem resposta: Como Nossa Senhora do Rosário entrou na devoção dos negros, em Portugal, na África e no Brasil? Uma lenda contada em todas as irmandades coloca a Senhora do Rosário como sendo a origem do congado. Vamos ver isso com calma.
A irmandade do rosário (dos brancos) fundada na Alemanha em 1409, chegou a Lisboa em 1478. A mais antiga menção a uma “Confraria de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos” encontramos em 14 de julho de 1496, portanto quatro anos antes da chegada dos portugueses ao Brasil. Esta informação consta num alvará dado à dita confraria, sita no mosteiro de São Domingos de Lisboa, "para poderem dar círios e recolher as esmolas nas caravelas que vão à Mina e aos rios da Guiné". Encontramos o importante documento no Arquivo Nacional da Torre do Tombo em Lisboa: Confirmações Gerais, L.2 fls.107v.-108.
Em 1526, já havia na ilha de São Tomé a irmandade dos "Homens Pretos". Outras irmandades do Rosário existem no Congo, na Angola e em Moçambique, desde o séc.XVII. Antes de 1552, já existia no Brasil uma irmandade para os escravos da Guiné, segundo Frei Odulfo van der Vat O.F.M. e outros historiadores. Em 1610, o rei do Congo entrou na irmandade do rosário fundada por Frei Lourenço O.P., em Mbanza, capital do Reino do Congo.
Entendemos que as irmandades do rosário surgidas no Brasil, não vieram só da Europa, mas também da África. Provavelmente, houve escravos africanos que já vieram para cá irmãos do Rosário.
A criativa história do aparecimento de Nossa Senhora do Rosário, fundadora das irmandades dos homens pretos, é antiga e pertence ao cristianismo banto. Muitos dizem que Nossa Senhora apareceu no Brasil, poucos dizem que foi na África. Os congadeiros contam que certa vez uma moça foi pegar água no mar e lá viu uma maravilhosa mulher sobre as águas. A mulher tinha um forte brilho no rosto e das pontas de seus dedos saiam raios de luz. Os homens brancos foram até o local com banda de música e a levaram para a Igreja, porém, no dia seguinte ela voltou pro mar. Os negros pediram permissão dos brancos para ir buscá-la, que a princípio não deixaram com medo que os negros estivessem querendo fugir, mas acabaram dando a permissão.
Para buscar a Santa, os mais jovens iam à frente, o que caracterizou o Congo. E quando chegaram ao mar, Nossa Senhora deu um passo na direção deles, que voltaram correndo para apressar os mais velhos que tinham ficado para trás. Aqui entra uma quadrinha:

O Moçambique lá envinha devagá
E atrás dele evinha o Candomblé,
Que são os treis Reis também sagrado
Que ia tirar ela do mar


Os negros resgataram a Santa do mar, e a levaram em um dos tambores, porém os brancos tomaram-na dos negros, levando-a para uma Igreja. Como da outra vez, no dia seguinte ela já tinha voltado para o mar. Desta vez, os negros foram buscá-la, mas construíram uma Igrejinha para ela, de onde ela nunca mais saiu.

Época Áurea da Festa do Rosário em Senador Firmino:

A festa do Rosário era precedida de uma maravilhosa novena em louvor à santa, com toques de sinos, recitação do Rosário, Ladainha, Missa e Pregação. Depois da celebração acontecia um concorrido leilão de prendas no adro da Igreja. As festividades terminavam solenemente com dois dias de Reinado (Reisado), ocasião em que o novo Rei do Rosário recebia a coroa de seu antecessor. Também era feito o hasteamento da Bandeira de Nossa Senhora do Rosário no adro, aos acordes da Banda de Congado, e sob vivas a Nossa Senhora e em seguida as danças próprias da festa do Rosário.
Além da Corte Real e seus figurantes, no reinado tomavam parte vários, penitentes, pagando promessas feitas à Virgem Maria. Os penitentes levavam uma acompanhante portando um guarda-sol. Se solteiros, o acompanhante era sempre o namorado ou a namorada. No último dia de reinado realizava-se a procissão de Nossa Senhora do Rosário, precedida pela Banda de Congados.
Terminada a procissão com a proclamação de um Sermão em louvor a Santa, os reis novos e velhos davam faustosas recepções em suas residências, com banquetes, mesas de doces e bebidas finas para todo o povo com várias apresentações folclóricas.

RODRIGO CELI VEIGA DIAS

11 comentários:

Luiz Brisa disse...

pow eh interessante
legal saber
xD

Rodrigo Ferreira disse...

Gostei muito do seu blog
abraço

me visite

XD

Rafa disse...

"O Moçambique lá envinha devagá
E atrás dele evinha o Candomblé,
Que são os treis Reis também sagrado
Que ia tirar ela do mar"

Esse blog é pura cultura veio, cada coisa interessante e que n se vê em lugar algum!

http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2010/06/fugindo-do-negao-black-power.html

Yagui disse...

Muito legal teu blog,tá de parabéns (:

renata disse...

Muito interessante mesmo =)
sempre bom conhecer a cultura de outros lugares do Brasil...

Dear Letícia disse...

Nossa que blog cultural eu gostei de ver. Blogs assim que precisamos que expressem nossa cultura nacional. Parabéns.

Rafa disse...

Nunca tinha ouvido falar dessa cidase, é muito interessante a cultura interiorana do suldeste

http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/portugal/noticia/2010/06/deco-se-despede-da-selecao-portuguesa-e-mira-o-fluminense.html

sosacaesosac disse...

eu gosto do carro lá em cima o\
AODHUSAHDOUShau

abras

Gui disse...

interessante...=)

Arthur D'mello disse...

legal, mas nunca tinha ouvido falar nessa festa :/
essas festas tradicionais são bemm nostalgicas.

moacir durso disse...

CaroRodrigo. Sou da Familia Durso , resido em SP há muito , mas , nao deixo de ir sempre todo ano em minha terra que amo. Como muitos , tambem sou nostalgico e gosto muito quando falam (bem) de nossa cidade. Uma sugestão : MUITOS QUE NÃO CONHECEM NOSSA CIDADE , NO FUNDO SÃO CURIOSOS E GOSTARIAM DE CONHECE-LA. ENTÃO PORQUE NAO DIVULGAR MAIS NOSSA PEQUENA SENADOR FIRMINO MOSTRANDO O QUE ELA PODE OFEECER DE BOM E TRANQUILIDADE PARA QUEM A VISITAR?